A competitividade nos mercados atuais obriga as empresas e os grupos a atuarem com o máximo de zelo no assunto tributário. Qualquer ineficiência pode gerar danos irreparáveis ao desenvolvimento ou à continuidade dos negócios. Ao mesmo tempo, alcançar uma boa eficiência tributária pode constituir um poderoso diferencial competitivo.

Contencioso tributário judicial: Embargos à Execução Fiscal, Exceção de Pré-Executividade, retirada de sócio incluído de forma ilegal na execução fiscal, mandado de segurança tributário, Ações Ordinárias para resolução de contendas fiscais de diversos tipos, inclusive para recuperação de valores pagos a maior.

Contencioso tributário administrativo: consultas à Administração Fazendária, Processos Administrativos Fiscais nas três esferas (atuação junto à SEFAZ, aos Conselhos de Recursos Fiscais, às Delegacias Regionais da Fazenda, ao Conselho Administrativo de Recursos Fiscais – CARF, dentre outros).

Planejamento tributário: avaliação da situação tributária atual do cliente e de seu planejamento estratégico para sugestão de modelo de estrutura empresarial e/ou operacional mais inteligente sob ponto de vista tributário, de forma a maximizar a eficiência do projeto, da empresa ou do grupo empresarial. A redução da carga tributária efetiva do cliente pode se tornar uma poderosa vantagem competitiva. Diversas são as possibilidades neste aspecto, podendo envolver a gestão fiscal e tributária, reorganizações operacionais, reestruturações societárias ou até mesmo planejamentos tributários internacionais.

Auditoria tributária e fiscal: avaliação da situação tributária e fiscal do cliente e revisão das práticas para identificar eventuais pagamentos indevidos. Este trabalho pode ou não estar inserido em trabalhos de planejamento tributário. Quando identificados pagamentos indevidos ou rotinas incorretas, atuamos para corrigir e/ou recuperar no menor tempo possível, com a maior assertividade e segurança possíveis. Para tanto, pode-se fazer uso de medidas administrativas ou judiciais;

Apoio a projetos ou operações específicas: diversos projetos e operações funcionam melhor se contarem com o apoio de uma inteligência tributária, como por exemplo: planejamento sucessório e herança; fusões e aquisições; alianças estratégicas, private equity e venture capital, operações de financiamento estruturadas, spin-offs, diversificação ou expansão de negócios para outras localidades ou para o exterior, dentre outras. O melhor momento para planejar é na concepção do projeto.